Luz indireta, direta e difusa: o que são? Como usar?

Luz indireta, direta ou difusa: saiba como diferenciá-las!

O fato de saber diferenciar a luz indireta da direta e da difusa, é um passo muito importante na hora de planejar um projeto de iluminação. Isso porque esse conhecimento amplia sua capacidade de escolher qual é o tipo mais adequado para o ambiente.

Além disso, conhecer os diferentes tipos de iluminação te torna mais capaz de escolher os melhores produtos: que unam beleza, qualidade e custo-benefício. Preparado? Neste post, nós vamos te mostrar as diferenças entre indireta, direta e difusa, tirar suas principais dúvidas e, ainda, te auxiliar na escolha dos objetos. Acompanhe a seguir.

Luz direta

Como o próprio nome já diz, a luz direta é aquela utilizada para dar destaque a espaços ou objetos específicos, justamente pelo fluxo da iluminação estar direcionado exatamente sobre a superfície a ser iluminada. Resumidamente, é a que utilizamos para focar em algo.

Imagem de um ambiente iluminado com luz direta

Como usar a luz direta?

Esse tipo é bastante utilizado em salas de jantar, com o objetivo de dar destaque às mesas. Outra forma bem interessante de utilizar a luz direta é focar em objetos decorativos como quadros nas paredes, esculturas ou plantas, além de, é claro, em mesas de trabalho, para proporcionar o aumento da concentração.

Em todos esses casos você pode utilizar spots em trilhos, que criam uma decoração industrial. São excelentes para decorar a cozinha e a sala de jantar e, por que não, ambientes de trabalho. Os spots direcionados também são uma ótima opção para corredores ou halls de entrada. Já as luminárias, pendentes e lustres são ideais para criar um clima elegante na sala de estar ou de jantar.

Se você quer investir nesse tipo de iluminação, mas ainda não tem experiência para escolher lustres ou pendentes, fique tranquilo. Nós recomendamos a leitura do nosso post que traz dicas para entender a altura ideal do pendente em cada cômodo.

Luz indireta

Um projeto com a opção indireta tem como principal proposta iluminar o espaço de maneira uniforme, utilizando lâmpadas direcionadas a superfícies (tetos ou paredes, por exemplo) que refletem a luz espalhada no ambiente de forma leve, menos invasiva e mais agradável aos olhos.

Imagem de um ambiente iluminado com luz indireta

É o tipo de iluminação ideal para decorar quartos e salas de TV, ou qualquer ambiente onde se queira criar uma atmosfera mais intimista, relaxante e agradável. É um tipo mais convidativo, podemos dizer.

Como usar a luz indireta?

Para obter os melhores efeitos com a luz indireta, as lâmpadas devem ser posicionadas estrategicamente em forros, sancas de gesso no teto, nichos ou até mesmo com luminárias com filtros mais foscos. Uma dica para esse tipo de iluminação é escolher lâmpadas de cor amarela, para aumentar a sensação de aconchego.

Dentre os produtos que você pode escolher para implementar a opção indireta em qualquer ambiente estão as arandelas e spots. Outro item indispensável para criar efeitos diferentes na iluminação dos espaços são as fitas de led, comumente usadas em móveis, espelhos, escadas e nichos, por exemplo.

A indireta pode ser utilizada em qualquer ambiente como quartos, lavabos, salas de estar e de tv. Para te inspirar, nós preparamos um post com 10 dicas para iluminação da sala, com ideias para criar ambientes de recepção e conforto. Não deixe de conferir.

Luz difusa

A iluminação difusa é aquela capaz de iluminar qualquer ambiente de forma suave, sem provocar sombras fortes, seja em objetos ou em móveis. Isso só é possível porque é um tipo de luz que contém uma espécie de filtro sobre a lâmpada – o difusor, que suaviza o brilho e a intensidade da luz –. É ideal para criar ambientes iluminados de forma homogênea, e, ainda assim, oferecer uma sensação de conforto.

Imagem de um ambiente iluminado com luz difusa

Como usar a luz difusa?

Na sala de estar, você pode utilizar uma iluminação difusa no teto, que deixará o ambiente bem iluminado, porém sem influência direta, criando um espaço com conforto visual sem gerar reflexos na TV, por exemplo. Usar plafons e luminárias de embutir é uma ótima saída.

A luz difusa pode ser utilizada na cozinha também, de preferência inserida no teto, para distribuir a iluminação de maneira uniforme e reduzir a projeção de sombras na área de trabalho. Para o banheiro, você pode escolher duas fontes de luz: uma próxima ao espelho, para facilitar o uso do espelho ao se barbear ou maquiar, por exemplo, e outra difusa no teto.

Gostou do conteúdo? Agora que você consegue diferenciar os principais tipos de luz, é hora de usar a criatividade e tirar o seu projeto do papel. Ah, aproveite e leia o guia completo com dica de iluminação ideal para cada ambiente, que, com certeza, vai te inspirar para tornar seus espaços mais confortáveis, funcionais e, claro, lindos!

Continue acompanhando o blog da Decor Lumen, que sempre traz as melhores dicas de decoração para ambientes e ideias de projetos que vão te encantar. Até o próximo post!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.